01 de setembro

Setembro Amarelo: saiba a importância de reconhecer os sinais

Criada em 2014, a Campanha Setembro Amarelo tem como objetivo reduzir e prevenir casos de suicídios. Setembro é o mês oficial da campanha, mas ela ocorre durante todo o ano.

O número cresce cada vez mais, e ainda assim esse fenômeno continua um tanto complexo. Isso afeta pessoas de todas as classes sociais, idades, gêneros e orientação sexual.

Mesmo a depressão sendo o maior motivador desses casos, existem alguns sinais que, para aqueles que se mantêm atentos, são perceptíveis.

O suicídio pode ser prevenido, e reconhecer quando uma pessoa próxima apresenta comportamento suicida é o primeiro passo para que ela receba a ajuda necessária.

Cada caso é específico, e os alertas variam de pessoa para pessoa, por isso não existe uma fórmula que facilite a detecção do problema.

Para entender esse tipo de situação, é necessário ter uma sensibilidade às falas, gestos e ações da pessoa, por mais sutis que sejam, certos comportamentos antecedem qualquer ação suicida.

Pensando nisso, listamos abaixo alguns possíveis sinais que devem ter a devida atenção. Confira:

Busca por isolamento

O isolamento costuma ser um comportamento padrão das pessoas com pensamentos suicidas. Elas podem parar de responder mensagens, atender ligações, tentam diminuir cada interação com outras pessoas e interrompem atividades que estavam em sua rotina.

Mudanças comportamentais

Algumas mudanças no comportamento e alterações de humor devem ser encaradas como um alerta.

Demonstração de preocupação com a própria morte

Pessoas sob risco de suicídio tem o costume de falar sobre o assunto com mais frequência, confessando se sentir sem esperança ou com uma visão negativa sobre o seu futuro. Essas ideias podem ser expressadas de diferentes formas, seja verbalmente, por meio de escritas, desenhos ou qualquer outra expressão artística.

Como agir diante de uma pessoa com essas atitudes?

Nessas situações é necessário respeitar a pessoa, entender e levar a sério suas lamentações. Ouvir e saber o que a pessoa tem a falar e sempre encoraja-la a buscar recuperação. Sempre incentive a pessoa a procurar ajuda de profissionais da saúde, especialistas em saúde mental. 

Caso conheça alguém com esses sinais, não a deixe sozinha, procure ajuda. Ligue para o CVV (Centro de Valorização da Vida) através do telefone 188. A ligação é gratuita e o atendimento é 24h.

0 Comentário

Nome *

Email *

Sua mensagem *